NÃO SE DEIXE DOMINAR




“... mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas" (1Co 6.12b)

O apóstolo Paulo reconhece que "muitas coisas são lícitas" mas "não convém" para um cristão. Ele sabe que quando nos deixamos dominar por alguma força, externa ou interna, já não somos mais libertos, mas pessoas escravizadas. Paulo afirma enfaticamente: "...mas eu não me deixarei dominar". Ele não pretende que sua vida seja dirigida por nenhuma força, ou sentimento, pois seu viver está centrado em Cristo. Espelhando-se, então, no exemplo de Paulo, tomemos o firme propósito de lutar contra aquelas forças interiores que, por sua própria natureza, tendem a crescer cada vez para tornarem-se "autônomas", ou seja, fugirem de nosso controle. Quando isso acontece, perdemos, então, o centro, o equilíbrio, e eis-nos subjugados diante do poder cada vez maior desse "inimigo" interior. Com certeza há sentimentos e afetos que querem dominar nossas vidas, se assim permitirmos. Cabe então, aqui a pergunta: você domina seus sentimentos ou é dominado por eles?

Não se deixe dominar pela preguiça. Ela impede a realização daquilo que precisa ser feito. Ela sempre dá desculpas para não fazer. Ela não deixa que você progrida materialmente e na fé. Quem tem preguiça não lê, não ora, não estuda e acostuma-se com o estado em que vive.

Não se deixe dominar pela ira. Ela nos torna pessoas indóceis, e tira a beleza do homem e da mulher. A ira impede que o amor se manifeste, que o perdão seja dado. Ela provoca discussões, ela nos torna impacientes e estraga todas as coisas boas da vida que o Senhor nos dá.

Não se deixe dominar pelos maus pensamentos. A Bíblia nos ensina a ocuparmos a mente com pensamentos bons, agradáveis, que trazem alegria... (Fp 4.8). Os maus pensamentos trazem junto com eles os maus pressentimentos, como se algo ruim estivesse prestes a acontecer, e isso só traz ansiedade e preocupação. Não se deixe dominar por maus pensamentos. Faça como Jeremias e diga: "Quero trazer à memória o que me dá esperança".

Não se deixe dominar pelo passado. Não julgue o presente pelos acontecimentos passados. Não fique "desenterrando cadáveres" que são coisas que aconteceram há tanto tempo e você insiste sempre em mencioná-las quando devia esquecê-las.
Não fique lembrando o que lhe fizeram, o quanto você sofreu. Não seja como a mulher de Ló que se transformou numa estátua por insistir em olhar para trás. Faça como Paulo: deixe as coisas que para trás ficam e caminhe para frente (Fp 3.13).

Não se deixe dominar pelo medo. O medo paralisa, o medo traz dúvida e indecisão. O medo faz com que você viva acuado como um gato no canto da parede e ataca tudo o que vê pela frente. O medo vê coisas na imaginação e "inventa" o que não existe. O medo faz com que você veja o diabo em todo o lugar e Deus em nenhum lugar. João ensina como extinguir o medo: "o perfeito amor lança fora o medo, pois quem ama não teme" (1 Jo 4.18)

Não se deixe dominar pelas preocupações. Há pessoas que não conseguem esquecer os problemas. Pensa neles quando dorme e quando levanta. Durante todo o dia sua mente não consegue libertar-se dos seus motivos de preocupação: os filhos, o marido, o aluguel, a saúde... Essa é uma prisão terrível que nos faz crentes tristes. Não se deixe dominar pelas preocupações, pois Jesus falou que não adianta mesmo! Deus sabe de todas as coisas, sabe de tudo que necessitamos antes mesmo de pedirmos. Livrar-se das preocupações é uma prova de confiança nesse Deus amoroso.

Não se deixe dominar pela tristeza. Ela vai chegando devagarzinho, vai se alojando lá no canto do coração. Primeiro é uma decepção, depois vem uma incompatibilidade amorosa, depois a incompreensão dos familiares... É muito fácil acumular tristeza, afinal "um abismo chama outro abismo". O próprio Paulo diz que Deus se compadeceu dele "para que não tivesse tristeza sobre tristeza" (Fp 2.27).

Deixe-se ser dominado só pelo Espírito Santo de Deus.


Daniel Rocha (adaptado)

Comentários

Anônimo disse…
adorei a reflexão.