sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Existe uma nova porta



Quando uma porta se fecha para você, em algum lugar existe uma outra porta que está escancaradamente aberta à sua espera. Se um obstáculo se transpõe em seu caminho, existe uma nova trilha ao redor pela qual você poderá passar. Quando o plano A fracassou e também o plano B, sempre existe o plano C que poderá leva-lo aonde você deseja chegar.

Quando um alvo parece impossível, sempre existe alguma coisa que você poderá fazer para que ele se torne possível. Sempre existe uma nova porta aberta. É sempre necessário lembrar que Deus não nos deixou neste mundo à nossa própria sorte e aos nossos próprios cuidados.
O Senhor nos convida a fazer da oração o primeiro recurso e não a ultima opção. Ele nos chama a persistencia e a disciplina para um genuino crescimento.

 Lembre-se que quando uma abordagem fracassa, essa experiência se transforma numa excelente oportunidade de experimentar uma outra nova abordagem. Existe uma nova porta aberta a você. Não desista porque a sua fé em Deus, sua persistência e sua ação está lhe trazendo mais perto desta porta. Apesar do caminho parecer tortuoso, é esse mesmo caminho que poderá leva-lo a uma vida bem sucedida quando você nele persiste sem desistir.

Para Meditação:
E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Gálatas 6:9

Visite o Site:
http://www.encorajamento.com/index.php



Nélio DaSilva
http://www.encorajamento.com/index.php

Eu tentei


Sonhei que você estava muito triste, encostado(a) em uma cama, sem vontade de fazer nada, queria se entregar ao nada, pois nada te interessava. Vi uma grande nuvem cinza escura em volta da sua cabeça, uma energia muito negativa agarrava-se ao seu centro nervoso te deixando mais doente. E eu tentava te chamar, toquei em seu ombro, você sentiu um arrepio, mas não me viu, e eu fiquei ali tentando te ajudar.

Vi você chorando, tentei te consolar, mas você não me ouviu. Vi você maldizer a vida e se achar a mais infeliz das pessoas, mas não viu a luz que vinha do céu em sua cabeça.

Vi você reclamar dos outros, mas não vi um só gesto seu em direção a vida. Não vi você aceitar a ajuda que eu te oferecia.
Você falou que tinha medo da rua, mas não se esforçou para pensar racionalmente nesse medo.
Falou que não tinha nada que fosse seu, eu tentei te mostrar o carinho dos seus pais, e das pessoas que realmente te amavam, mas você fechou os olhos.

Você disse que ninguém se importava com você, e eu vi a pilha de mensagens em sua secretária eletrônica, quantas vezes você deixou o telefone tocar até cair a linha? E as cartas que você nem abriu, os e-mails que nem leu?. Quantas visitas você dispensou sem ao menos falar um "Oi".

Eu vi você pensar em morte, mas você não viu a energia que corria em suas veias, a vida que implorava pra você viver. Você achou que perdeu tudo, eu vi que você estava perto de ganhar muito.


Mas você não queria ver, muito menos ouvir.

AUTOR DESCONHECIDO

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O Choro



Quantas vezes você já chorou, por que alguém te traiu.

Quantas vezes você já chorou, por que aconteceu algo inesperado que te entristeceu.

Quantas vezes você já chorou, por causa de um amor perdido.

Quantas vezes você já chorou, por ter perdido um amigo querido que partiu para longe.

Quantas vezes você já chorou, sem razão nenhuma.

Quantas vezes você já chorou, por lembrar de uma situação inusitada.

Quantas vezes você já chorou, por achar que ninguém te entendia.

Quantas vezes você já chorou, por ter sido humilhado por alguém.

Quantas vezes você já chorou, por ter perdido um amigo em vão.
Quantas vezes você já chorou, por causa daquele que dizia que te amava e te traiu.

Quantas vezes você já chorou, deitado em sua cama relembrando situações do passado.

Quantas vezes você já chorou, pensando o que será de seu futuro.

Quantas vezes você já chorou, por ter passado por uma situação difícil e você venceu.

Quantas vezes você já chorou, por alguém que partiu deste mundo para sempre.

Mas agora eu te pergunto quantas vezes você entregou cada uma destas lágrimas para Deus, pois Ele te diz neste dia especial:

“E Deus limpará de seus olhos toda lágrima”.
Apocalipse 21:4


Entrega o teu caminho ao Senhor;
confia nele, e ele tudo fará.
Salmos 37:5


Autor Wilson Bezerra de Vasconcelos

O cesto e a água



Dizem que isto aconteceu em um mosteiro chinês muito tempo atrás. Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:
- Mestre, por que devemos ler e decorar a Palavra de Deus se nós não conseguimos memorizar tudo e com o tempo acabamos esquecendo? Somos obrigados a constantemente decorar de novo o que já esquecemos.

 
O mestre não respondeu imediatamente ao seu discípulo. Ele ficou olhando para o horizonte por alguns minutos e depois ordenou ao discípulo:
- Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho, encha o cesto de água e traga até aqui.

 
O discípulo olhou para o cesto sujo e achou muito estranha a ordem do mestre, mas, mesmo assim, obedeceu. Pegou o cesto, desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro até o riacho, encheu o cesto de água e começou a subir de volta. Como o cesto era todo cheio de furos, a água foi escorrendo e quando chegou até o mestre já não restava nada.

 
O mestre perguntou-lhe: "Então, meu filho, o que você aprendeu?"
O discípulo olhou para o cesto vazio e disse, jocosamente: "Aprendi que cesto de junco não segura água."

 
O mestre ordenou-lhe que repetisse o processo de novo. Quando o discípulo voltou com o cesto vazio novamente, o mestre perguntou-lhe: "Então, meu filho, e agora, o que você aprendeu?"
O discípulo novamente respondeu com sarcasmo: "Que cesto furado não segura água."

 
O mestre, então, continuou ordenando que o discípulo repetisse a tarefa. Depois da décima vez, o discípulo estava desesperadamente exausto de tanto descer e subir as escadarias. Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo: "Então, meu filho, o que você aprendeu?"

 
O discípulo, olhando para dentro do cesto, percebeu admirado: "O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água, a repetição constante de encher o cesto acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo."

 
O mestre, por fim, concluiu: "Não importa que você não consiga decorar todas as passagens da Bíblia que você lê, o que importa, na verdade, é que no processo a sua mente e a sua vida ficam limpas diante de Deus."

 
AUTOR DESCONHECIDO

Tesouro escondido - O castiçal


Tagil era um homem pobre. 
Jardineiro, ganhava a vida no trabalho diário com flores e plantas.
Certo dia, ele se dirigia para casa quando encontrou no caminho um homem prestes a ser assaltado.
 
De alma nobre e ânimo valente, logo foi em socorro do desconhecido. Graças à sua interferência os dois ladrões fugiram sem causar maiores danos físicos.
Reconhecido, o quase assaltado resolveu premiar o seu salvador. Por ser um rico mercador e possuir muitas e ricas peças, tomou de uma caixa amarela de couro lavrado e a deu ao jardineiro.
 
Tagil foi rápido para casa. Mal podia conter sua curiosidade. O que será que lhe teria dado o rico senhor? Como a caixa pesasse ele pensou que poderiam ser muitas moedas de prata. Ao abrir a caixa para conhecer as preciosidades que ela devia conter, ficou desiludido.
 
Era somente um castiçal. Um castiçal de metal escuro e pesado.
Tagil ficou muito aborrecido. Afinal, arriscara a vida lutando contra os salteadores da estrada e ao final, somente ganhara aquilo.
O que ele faria com um castiçal?
Convencido do desvalor do presente, ele atirou o castiçal a um canto. Abandonado, o objeto ficou rolando pela casa.
Toda vez que o jardineiro colocava sobre ele os olhos, mais se amargurava lembrando do episódio.
Descuidadamente, o castiçal caiu no terreiro e ficou ao relento alguns dias. De outra feita, serviu de calço para um móvel partido. Até como martelo foi utilizado pelo seu dono.
 
Como as dificuldades da vida de Tagil se avolumassem, ele precisou sair daquela casa e foi morar em outras paragens. Levou consigo quase tudo que possuía. Mas deixou sobre a mesa suja, o castiçal. Afinal, era uma coisa imprestável!
 
Ora, aconteceu que na casa deixada por Tagil, veio morar um músico.
Descobrindo o castiçal em desleixo, teve logo a impressão de que deveria ser uma peça curiosa. Tirou-lhe o pó e livrou-o das manchas que o recobriam. Viu então que na base da peça haviam várias figuras. Um belo navio, que parecia vencer as ondas e uma bailarina graciosa que dava a impressão de dançar no meio de um lindo jardim.
Virando um pouco a peça, descobriu ainda um majestoso templo com torres apontadas para o céu. E, finalmente, um corcel negro a galopar sobre uma montanha de nuvens.
Quanta beleza! Imaginou logo o músico que o castiçal deveria ser uma preciosidade. Tratou de mostrá-lo a várias pessoas, até conseguir que um rico colecionador de peças raras o comprasse, por uma fortuna incalculável.O que nas mãos de Tagil era uma peça inútil se transformou em uma verdadeira preciosidade aos olhos inteligentes de Leonardo.
 
Quantas pessoas existem no mundo que, à semelhança do jardineiro, possuem ao seu lado tesouros incalculáveis mas cujos olhos não se apercebem do que os rodeia.
 
A peça preciosa que Deus depositou nas nossas mãos pode ser uma esposa dedicada, uma mãe extremosa, um filho, pais dedicados.
 
Haverá tesouro maior que o dos afetos que abençoam uma vida, enchendo-a de alegrias?
***
Aproveite ao máximo os tesouros do tempo e da oportunidade, valorizando o conhecimento pela sua bem dirigida aplicação.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...