quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A existência de Deus


Deus fiel, existência Deus


Havia um senhor, que era dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior. Era um homem bastante inteligente mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa além do seu mundo material.

Um certo dia, estava ele fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos dizendo que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer.

Muito nervoso e após insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia para pegar o remédio. Sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou pegando o remédio mesmo no escuro, entregou-o à criança, que agradeceu e saiu dali às pressas.

Minutos depois, percebeu que havia entregado o remédio errado para a criança e, se aquela mãe o tomasse, seria morte instantânea. Desesperado, tentou alcançar a criança mas não teve êxito. Gritou em desespero... e o tempo passava e nada acontecia.

Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realmente existia um Deus que não o deixasse passar por assassino.

O tempo passava e ele, de joelhos ficava pensando que a mulher poderia já estar morta e certamente, ele teria de pagar por isso. Refletiu sobre suas intemperança, sobre seu mau humor principalmente sobre sua insensatez.

De repente, sentiu uma mão tocar-lhe o ombro esquerdo e ao virar deparou-se com a criança em prantos !!! - Naquele momento ficou desconsolado ! - Mas tinha uma certeza: Deus, de fato, não existia...

Já podia imaginar o que estava para lhe acontecer.
O choro e o olhar triste daquela criança lhe atravessava a alma.

No entanto, como um lampejo de sabedoria, perguntou ao menino o que lhe havia acontecido.
Então aquela criança começou a dizer: - "Senhor, por favor não brigue comigo, mas é que caí e quebrei o vidro do remédio, pro senhor me dar outro?"

Deus existe e te conhece pelo teu nome. Ele sempre tem o melhor para você, por mais que as circunstâncias mostrem o contrário.

Creia neste amor que é maior do que qualquer um dos seus problemas, mesmo que estes sejam grandes e de difícil resolução. Creia na vida melhor que Ele tem preparada para você! Creia neste amor!

Não considere esta mensagem como religiosa: é algo muito maior do que religião. É uma mensagem sobre o amor de Deus que te faz estar próximo dele.

A religião nunca fez das pessoas filhos e filhas de Deus. Quem te faz próximo ao seu Pai é este amor.

Creia em todos os instantes deste dia como se fossem milagres realizados só para você, pois você é, com toda certeza, um dos milagres de Deus aqui na terra.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Amor Verdadeiro




Um senhor de idade chegou ao consultório médico para fazer um curativo em sua mão onde havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois, tinha um compromisso. O médico que o atendia, curioso, perguntou o que tinha de tão urgente para fazer.

O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em um asilo para idosos, com mal de Alzheimer muito avançado. O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse: então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora? O velhinho respondeu: Não, ela já não sabe quem eu sou. A quase 5 anos que não me reconhece mais. O médico então questionou: mas então pra que tanta pressa e necessidade de estar com ela todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais? O velhinho então lhe deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico respondeu: ela não sabe quem sou eu. Mas eu sei muito bem quem ela é! O médico pensou: esse é o tipo de amor que eu quero para a minha vida.

CONTINUAÇÃO: A moral da história é que mesmo que você se esqueça do Senhor JESUS, ele não se esquece de você. Na Bíblia, no livro de Salmos vemos a realidade disto, no capitulo 139 versos do 7 ao 10.
VEJA: Para onde me ausentarei do teu Espirito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também, se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá. O SENHOR ESTÁ CONOSCO EM TODOS OS MINUTOS DO DIA.

Carta de Deus para você




Tu és um ser humano, és o Meu milagre.
E és forte, capaz, inteligente, e cheio de dons e talentos. Conta teus dons e talentos. Entusiasma-te com eles.
Reconhece-te. Aceita-te. Anima-te. E pensa que desde este momento podes mudar tua vida para o bem, se assim te propões e se te enches de entusiasmo.
Tu és minha criação maior. És meu milagre.

Não temas começar uma nova vida. Não te lamentes nunca. Não te queixes. Não te atormentes. Não te deprimas. Como podes temer se és meu milagre? Estás dotado de poderes desconhecidos para outras criaturas do Universo.
És ÚNICO. Ninguém é igual a ti. Só em ti está aceitar o caminho da felicidade e enfrentá-lo seguindo sempre adiante. Até o fim. Simplesmente porque és livre.
Em ti está o poder de não amarrar-te às coisas. As coisas não fazem a felicidade.
Te dei o poder de PENSAR.
Te dei o poder de AMAR.
Te dei o poder de IMAGINAR.
Te dei o poder de CRIAR.
Te dei o poder de PLANEJAR.
Te dei o poder de REZAR.
E te situei o poder dos anjos quando te dei o poder da escolha.
Te dei o domínio de escolher o teu próprio destino usando tua vontade.
O que tens feito destas tremendas forças que te dei ? Não importa ! De hoje em diante esqueça o teu passado, usando sabiamente este poder de escolha.
Opta por SORRIR em lugar de chorar.
Opta por CRIAR em lugar de destruir.
Opta por DOAR em lugar de roubar.
Opta por ATUAR em lugar de adiar.
Opta por CRESCER em lugar de consumir-te.
Opta por BENDIZER em lugar de blasfemar.
Opta por VIVER em lugar de morrer.
E aprende a sentir a Minha presença em cada ato de sua vida. Cresça a cada dia um pouco mais no otimismo e na esperança!
Deixa para trás os medos e os sentimentos de derrota. Eu estou ao teu lado. Sempre.
Chama-me. Busca-me. Lembra-te de mim. Vivo em ti desde sempre e sempre te estou esperando para amar-te.

Se hás de vir até Mim algum dia.. que seja hoje, neste momento! Cada instante que vivas sem Mim, é um instante infinito que perdes de Paz.
Procura tornar-te criança... simples, generoso doador, com capacidade de extasiar-te e capacidade para comover-te ante à maravilha de sentir-te humano.
Porque podes conhecer Meu amor, podes sentir uma lágrima, podes compreender uma dor.
Não te esqueças de que és Meu milagre.
Que te quero feliz, com misericórdia, com piedade, para que este mundo em que transitas possa acostumar-se a sorrir, sempre que tu aprendas a sorrir.
E se és Meu milagre, então usa os teus dons e muda o teu meio ambiente, contagiando esperança e otimismo sem temor porque...
EU ESTOU AO TEU LADO !
DEUS.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Você já é um vencedor




Um dia você foi inscrito para participar do maior concurso do mundo, da maior corrida de todos os tempos. Acredite você estava lá! Eram mais de quarenta milhões de concorrentes. Pense nesse número. Todos tinham potencial para vencer e só um venceria. Será que você era mais um número na multidão ou tinha algo especial? Analise quais seriam suas chances. Zero, zero, zero, zero, zero, zero, zero, zero, quatro (um numero assim 0,000.000.04).

Você nunca foi tão próximo de zero. Suas chances eram quase inexistentes. Tinha tudo para ser mais um derrotado, tinha todos os motivos para ser um(a) grande perdedor(a). Qualquer um acharia loucura participar dessa corrida. Mas você participou e ainda achava que iria vencer. Talvez fosse melhor desistir e se conformar com a derrota. Mas você era o ser mais teimoso do mundo, sua garra era incrível. Por isso jamais admitiu recuar. A palavra desistir não fazia parte do seu dicionário genético.

Por quê? Porque, se perdesse essa corrida, perderia o maior prêmio da História. Qual?” A VIDA. (Sua vida). Assim resumidamente, é a sua história. Você já é um(a) Vencedor(a). Desde quando foi gerado(a). Gostaria que você se lembrasse sempre disso. Sua vida, você, quem você é... É a maior riqueza que poderá possuir nesta existência.

 Augusto Cury

Colocando o céu em ação




Minha relação com a oração poderia ser resumida com o seguinte histórico: primeiro, oração era um negócio no qual eu devia fechar os olhos e colocar as mãos espalmadas enquanto alguém falava e eu repetia. Depois, era o momento em que eu ficava com um dos olhos entreaberto para ver quem estava quebrando as regras e cometendo a heresia de não fechar ambos os olhos. Um pouco mais tarde, oração era uma coisa automática que eu repetia antes das refeições e antes de deitar, e tão automático era que na época de pré-primário era comum eu ajoelhar e, ao invés de dizer o protocolar "querido Jesus, etc" eu me me pegava falando "um, dois, três, quatro...". Só percebia minha mancada quando estava lá pelo doze, avizinhando-se do último número que eu conhecia, que era o quinze; então eu chacoalhava a cabeça e recomeçava "do jeito certo".

Durante muitos anos oração para mim foi pouco mais que isso, mas quando a adolescência ia já terminando e eu me vi tendo que agir como quem sabe o que faz, veio uma crise de fé. Era o momento de determinar se eu realmente cria no que eu dizia crer ou se estava, como tantos outros, agindo como um autômato. Nessa época passei a ter conflitos com esse negócio de oração. Para quê ela servia, afinal de contas? Era uma ferramenta para eu convencer a Deus dos benefícios que Ele teria me ajudando, da conveniência de Ele responder aos meus pedidos? Eu nunca fui um bom vendedor, me sentia mal tendo que "convencer a Deus". Ademais, se Deus me amava, se Ele é Amor, por que eu precisava dobrá-lO a me ajudar? E por quê razão eu deveria contar a Ele coisas que Ele conhecia muito melhor que eu? Aquilo tudo não fazia sentido.

Por incrível que pareça, a crise de fé foi superada sem um entendimento real do papel da oração. Ela foi relegada a uma posição de coadjuvância. Converti-me, experimentei a delícia de falar de verdade com meu Deus, de abrir o coração a Ele, passei a orar de forma muito mais sincera e honesta, mas ainda muito pouco e
timidamente.

Foi só recentemente que o poder espetacular da oração me impressionou de fato. Ouvi de pessoas que dialogavam com Deus nas mínimas coisas, ouvi de experimentos científicos que apontavam efeitos sensacionais da oração, ouvi de proezas sendo feitas por pessoas como eu. Entendi, enfim, que Deus tem um contêiner de bençãos que não derrama sobre nós antes que peçamos com muito afinco e perseverança, muitas vezes porque se o fizesse nos entenderíamos merecedores da benção e não há nada pior para nosso destino eterno do que nos imaginarmos dignos do que quer que seja. Entendi também que Deus quer que falemos com Ele muitas vezes todos os dias, porque assim fazendo subjugamos nossa vontade, submetemos-Lhe nosso orgulho e entramos em sintonia com o espírito do Céu. É por isso que Ellen White diz que a oração não faz o Céu baixar, mas nos eleva a ele. Pedindo e pedindo manifestamos confiança no Pai cheio de amor, manifestamos havê-lO reconhecido como poderoso para resolver nosso problema; imagine um pai querendo dar tudo para o filho e esse com dúvidas quanto ao interesse paterno em ajudá-lo. Como esse pai se sentiria?

Batalhando em oração, intercedendo por outros, insistindo com Deus, acionamos um mecanismo divino cujo poder estamos muito longe de sequer desconfiar. "Em Deus", diz o salmista", faremos proezas".
Marco Aurelio Brasil

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Ajuda Certa



E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”  Joel 2:32

Por que não invocar o Seu nome? Por que correr para esta e aquela pessoa, quando Deus está tão perto e ouvirá o meu fraco chamado? Por que sentar e inventar planos e traçar esquemas? Por que não ir imediatamente ao Senhor e lançar-me sobre Ele o meu fardo?

Aquele que prossegue em frente sem se distrair é o melhor corredor — por que não corrermos de uma vez para o Deus vivo? Em vão buscarei livramento em qualquer outra parte. Mas em Deus o acharei; pois ali tenho a Sua promessa, que é garantida. Não preciso perguntar se posso ou não invocá-lO, pois a expressão “todo aquele” inclui a mim também. Ela se refere a qualquer pessoa que invocar a Deus.
Seguirei, portanto, a direção do texto e imediatamente invocarei ao Senhor que fez a promessa. O meu problema é urgente e não vejo como posso obter livramento; mas isto não compete a mim. Aquele que fez a promessa achará caminhos e maneiras de cumpri-la. Minha parte é obedecer ao Seu mandamento; não me cabe dirigir Seus conselhos. Eu sou Seu servo, não Seu inquiridor. Eu O invocarei, e Ele me salvará.
C. H. Spurgeon, em “DEUS NÃO MUDA”

Fonte: Salmo 37

Deus é nosso Porto Seguro




Em meio as contendas e dificuldades, é absolutamente necessário olhar para fora da tempestade. Contudo, normalmente estamos desorientados, perturbados, com os pensamentos confusos e emoções distorcidas. A realidade se comporta como espinhos.
É neste momento que devemos buscar uma âncora, um ponto imutável, um ponto estável para visualizar as coisas de modo diferente, na verdade, precisamos ver a verdadeira Realidade para a situação.


O autor de Hebreus nos descreve do que consiste a Âncora da nossa alma, ou, o que realmente pode dar orientação segura para uma alma que está sem direção:
“Porque os homens certamente juram por alguém superior a eles, e o juramento para confirmação é, para eles, o fim de toda a contenda. Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta” Hebreus 6:16-20


O que estabiliza nossa alma é a promessa de Deus. E toda a promessa de Deus tem dois grandes fundamentos:
1) Mas Deus não é semelhante aos homens que mentem, Ele jurou por si mesmo e Ele honra a sua palavra: Jer 1:12 “Então me disse o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.”
2) A esperança proposta por Deus. É uma ardente expectativa pelas coisas celestiais, que fundamentam uma posição de cabeça erguida agora!


Devemos erguer nossos olhos com esperança, ouvir a voz de Deus, que vem quando estamos em plena comunhão com Ele na oração, quanto a promessa escrita em sua palavra, e criar a expectativa ardente a respeito da nossa situação atual.
Aquele que consegue isso vislumbra a saída, a alma se acalma na paz de Deus, e agradecemos antecipadamente pela vitória que está à frente.


Evelyn Christenson, EM “O QUE ACONTECE QUANDO DEUS RESPONDE AS NOSSAS ORAÇÕES”

Fonte: Salmo 37

Aguardando o tempo de Deus



A visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado… se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará” Hc 2:3

Num livrinho muito interessante, um personagem é levado à casa do tesouro de Deus. Ali, entre as muitas maravilhas que lhe foram reveladas, estava o Departamento das Bênçãos em Reserva, onde Deus guardava certas coisas que lhe haviam sido pedidas em oração mas aguardavam seu tempo próprio.

Algumas pessoas levam algum tempo para aprender que demora não significa negação. Há muitos segredos de amor e sabedoria encerrados no Departamento das Bênçãos em Reserva! Os homens prefeririam colher os frutos da misericórdia quando ainda estão verdes, ao passo que Deus quer que esperem até que amadureçam. “Por isso o Senhor ESPERA, para ter misericórdia de vós” (Is 30:18). Ele está vigiando nossos momentos difíceis, e não permitirá uma só provação a mais do que a que podemos suportar;  primeiro Ele deixará que se queimem as escórias, depois virá gloriosamente em nosso auxílio.

Não O entristeça, duvidando do Seu amor. Erga a cabeça e comece a louvá-lO agora mesmo pela benção que está a caminho. Louve-O pela espera porque, certamente, se sua oração ainda não foi respondida é porque respostas antes do tempo deixam de ser benção. Você será largamente recompensado pela demora que testou sua fé.
Samuel Rutherford, em “CRISTO ACIMA DE TUDO”

Fonte: Salmo 37

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Prêmio Dardos 2012


Recebi com muita alegria do prêmio Dardos da Carol, do blog Diário da Carol.

Este prêmio  destina-se a “reconhecer os valores demonstrados por cada blogueiro diariamente durante seu empenho na transmissão de valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Demonstrando, em suma, a sua criatividade por meio do seu pensamento vivo que permanece inato entre as suas palavras”.

As regras do prêmio incluem: 

Exibir a imagem do selo em seu blog.
* Linkar o blog pelo qual recebeu a indicação.
* Escolher outros 10 a 20 blogs a quem entregar o prêmio dardos.
* Avisar os escolhidos. 

Portanto, os meus indicados são:


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A FÉ DESCANSA NA PALAVRA DE DEUS





Confio na tua palavra”  Sl 119:42

A nossa fé será mais fraca ou mais forte, exatamente na proporção em que crermos que Deus fará o que disse. A fé nada tem a ver com sentimentos ou impressões, com improbabilidades ou com aparências externas.
Se desejarmos ligar as duas coisas — fé e sentimentos, fé e aparência — não estaremos descansando na Palavra de Deus, porque a fé não precisa de coisa alguma desse tipo. A fé descansa na Palavra de Deus. Quando cremos na Sua Palavra, o nosso coração descansa. Deus tem prazer em exercitar a nossa fé; porque é bênção para nós, depois porque é bênção para a Igreja, e também para os de fora.
Mas nós evitamos o exercício, em vez de o recebermos como um bem. Quando vêm as provas, deveríamos dizer: “Meu Pai Celestial põe nas minhas mãos este cálice de aflição, para que eu possa ter alguma coisa agradável depois.” As aflições alimentam a fé. Ah, deixemo-nos nas mãos do Pai Celestial! Seu coração tem prazer no bem de Seus filhos.
Mas as aflições e dificuldades não são os únicos meios pelos quais a fé é exercitada e aumentada. Há a leitura das Escrituras, através da qual podemos conhecer de perto a Deus, como Ele Se revelou na Sua palavra. Será que podemos dizer, pelo conhecimento que temos de Deus, que Ele é um Ser realmente desejável? Se não, instemos com Deus para que nos leve a isso, de modo que possamos admirar o Seu coração de amor e bondade, e sejamos capazes de dizer como Ele é bom e como tem prazer em fazer o bem a Seus filhos.
E quanto mais nos aproximamos desta realidade, mais prontos estamos a descansar em Suas mãos, satisfeitos com tudo o que Ele nos reserva. E quando vier a aflição, diremos: “Eu vou esperar para ver qual a bênção que Deus trará por meio dela, pois sei que Ele vai fazê-lo.” Assim daremos um testemunho digno diante do mundo e isso servirá para fortalecer a fé de outras pessoas.

George Müller, em “O TRIUNFO DA FÉ NO SOBRENATURAL”

Fonte: Salmo 37

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Comece de novo!


vitória, novo tempo, Deus


Se você confiou em Deus e andou pelo caminho Dele,
se você O sentiu a guiar você todos os dias,
 mas agora seus passos o levam por outro caminho,
Comece de novo.

Se você fez planos que não deram certo,
se você tentou dar o melhor de si e não há mais o que tentar,
se você falhou consigo mesmo sem saber porquê,
Comece de novo.

Se você contou aos seus amigos o que planejava fazer,
 se você confiou neles e eles não o apoiaram,
se agora você está sozinho, só podendo contar consigo mesmo,
Comece de novo.

Se você falhou com seus familiares, s
e agora você já não é tão importante para eles,
se eles perderam a confiança em você,
se você se sente um estranho em seu próprio lar,
Comece de novo.

Se você orou a Deus, respeitando sempre a vontade Dele,
se você orou e orou e ainda se sente infeliz,
se você quer parar, sentindo que atingiu seu limite,
Comece de novo.

Se você está certo de que está acabado e quer desistir,
se você chegou ao fundo do poço,
se você tentou e tentou e não conseguiu subir,
Comece de novo.

Se os anos passam tão depressa e os sucessos são poucos,
se chega dezembro e você se sente triste,
Deus dá um novo janeiro a você.
Comece de novo.

Começar de novo significa: Vitórias alcançadas
Começar de novo significa: Uma corrida bem feita
Começar de novo significa: DEUS sempre vencerá!
Não fique aí sentado no trono da derrota: COMECE DE NOVO !!!

Leia Também: Recomeçar

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Pare para escutar a voz de Deus


pare e escute, voz Deus, fiel


Certo homem, trabalhando em uma fábrica de gelo, perdeu um valioso relógio entre o gelo e a serragem onde o mesmo era armazenado. Vários colegas de trabalho ajudaram-no na procura por mais de duas horas, sem sucesso. Interromperam a busca por ocasião da hora do almoço e ao retornarem, pensando em recomeçar a procura, acharam um menino com o relógio na mão.

"- Como você conseguiu encontrá-lo?” Perguntaram surpresos.
" - Eu apenas deitei na serragem," respondeu o garoto, "e ouvi o tique-taque."

Em que lugar e de que maneira nós temos procurado a Deus?

Temos estado tão envolvidos nos assuntos gerais de nossos dias que, muitas vezes, no meio da agitação e alvoroço em que vivemos, não somos capazes de parar para ouvir a voz do Senhor.

E quando nos deixamos levar pelo barulho e pela pressa que o mundo nos impõe, arriscamo-nos a perder o bem mais precioso que possuímos - a comunhão com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Corremos para todos os lados e Deus fica perdido e esquecido em algum ponto de nossas andanças.

Alguns dizem que não podem parar nunca. Que tempo parado é tempo perdido. Mas não há perda maior do que deixar Deus para um momento de sobra. Quando dedicamos o melhor de nosso tempo a Deus, tudo o mais que fazemos se transforma em sucesso e bênçãos. É na calma e na serenidade de um relacionamento com o nosso Pai que armazenamos os maiores tesouros de nossa felicidade.

Quando nos aquietamos na presença de Deus, a nossa é renovada e nossa vida espiritual fortalecida. Passamos a caminhar sem o temor das incertezas e sem nos deixar abater pelas decepções que se apresentam nessa caminhada. Não mostramos inquietação em busca de vitórias porque sabemos que a vitória caminha junto a nós, como companheira inseparável.

Pare um pouco para ouvir a Deus. No silêncio você poderá encontrar os maiores tesouros de sua vida.

Paulo Roberto Barbosa  

Leia Também: O silêncio de Deus

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Persistência





Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina. Trabalha dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina. Para poder continuar nos negócios, empenha as próprias jóias da esposa. Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, dizem-lhe que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido.

O homem desiste? Não! Volta à escola por mais dois anos, sendo vítima da maior gozação dos seus colegas e de alguns professores que o chamavam de 'visionário'. O homem fica chateado? Não! Após dois anos,
a empresa que o recusou finalmente fecha contrato com ele.

Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída. O homem se desespera e desiste? Não!
Reconstrói sua fábrica, mas, um terremoto novamente a arrasa.
Essa é a gota d ' água e o homem desiste? Não!

Imediatamente após a guerra segue-se uma grande escassez de gasolina
em todo o país e este homem não pode sair de automóvel nem
para comprar comida para a família. Ele entra em pânico e desiste? Não!
Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta e sai às ruas.
Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas
'bicicletas motorizadas'.

A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria.
Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção.
Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a ideia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria.

Encurtando a história: hoje a Honda Corporation é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro.

Autor Desconhecido

Leia Também: Vai desistir?


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Renove-se






A águia é a ave de maior longevidade, podendo chegar aos 70 anos.

De maior envergadura de asas, pois abertas podem chegar a 86 cm de comprimento; sua visão é de trezentos graus, quase o dobro do humano.

Com uma membrana nictante é o único ser que pode olhar direto para o Sol; na forte tempestade não se esconde nem tenta inutilmente enfrentá-la, mas voa acima dela; fiel a uma única companheira, nunca em bandos, mas sempre sozinha e altaneira, caçadora, guerreira e corajosa, imponente, bela e preciosa no voar e no ataque.

Mas vamos ao mais fascinante:

Aos 40 anos suas unhas estão compridas e flexíveis e não conseguem mais segurar suas presas, seu bico se encurva e não morde mais com força, suas asas pesadas e envelhecidas dificultam o seu voo.
Só há dois caminhos:
Deixar-se morrer ou renovar-se num doloroso e longo processo de 5 meses.

Ela voa para o ninho num paredão no alto da montanha, fica protegida, mas só poderá sair se novamente for capaz de voar.

Lá suporta corajosamente a dor.

Ela bate o bico velho contra a pedra até arrancá-lo, espera nascer um novo bico e com ele, novamente suportando a dor, arranca as velhas unhas. Novamente espera que nasçam novas unhas e com elas arranca as velhas penas.

Após 5 meses, com novas asas, se lançará no voo da Vitória e Renovação e viverá mais 30 anos.

Aos 40 anos renascerá para mais 30 anos, totalizando 70 anos.

Muitas pessoas vivem em constantes brigas e lamentos, vidas de ressentimentos e medo, sem coragem e força para o ritual da renovação, do renascimento.

Destrua o bico do ressentimento, arranque as unhas da agressividade, retire as penas do medo que te impedem de voar; a decisão é só tua!

Vai viver como Urubu que se alimenta do podre do passado, do que está morto, ou vai voar livre acima da tempestade, recebendo a luz do sol como a Águia!

Decida pela vida.
Voe...

Autor Desconhecido


Leia Também: Além dos Problemas

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Como você reage diante dos problemas?




Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido, um outro surgia.
Seu pai, um chef, levou-a até a cozinha dele. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na última, pó de café.
Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo.
Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Pescou as cenouras e as colocou em uma tigela. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma tigela. 
Virando-se para ela, perguntou:

- Querida, o que você está vendo?

- Cenouras, ovos e café – Ela respondeu.


Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.

Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura.

Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.
Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.

- O que isto significa pai? - Ela perguntou.

Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, a água fervendo, 
mas que cada um reagira de maneira diferente.
A cenoura entrara forte, firme e inflexível, mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.
Os ovos eram frágeis, sua casca fina havia protegido o líquido interior, mas depois de terem sido fervidos na água, seu interior se tornara mais rijo.
O pó de café, contudo, era incomparável; depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água.
Ele perguntou à filha:

- Qual deles você é, minha querida?
Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde?
Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a diversidade você murcha, torna-se frágil e perde sua força? Ou será você como o ovo, que começa com um coração maleável, mas que depois de alguma perda ou decepção se torna mais duro, apesar de a casca parecer a mesma?
Ou será que você é como o pó de café,capaz de transformar a adversidade em algo melhor ainda do que ele próprio?
Autor Desconhecido

sábado, 22 de setembro de 2012

Anjo de Deus - O furo no barco


Deus cuida nós, agir Deus, milagre



Um homem foi chamado à praia para pintar um barco. Trouxe com ele tinta e pincéis, e começou a pintar o barco de um vermelho brilhante, como fora contratado para fazer.Enquanto pintava, percebeu que a tinta estava passando pelo fundo do barco. Percebeu que havia um vazamento, e decidiu consertá-lo. Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e se foi.

No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com um belo cheque. O pintor ficou surpreso:
- O senhor já me pagou pela pintura do barco - disse ele.
Mas isto não é pelo trabalho de pintura. É por ter consertado o vazamento do barco.
- Foi um serviço tão pequeno que não quis cobrar. Certamente, não está me pagando uma quantia tão alta por algo tão insignificante !
- Meu caro amigo, você não compreendeu. Deixe-me contar-lhe o que aconteceu. Quando pedi a você que pintasse o barco, esqueci de mencionar o vazamento. Quando a tinta secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria. Eu não estava em casa naquele momento.. Quando voltei e notei que haviam saído com o barco, fiquei desesperado, pois lembrei-me que o barco tinha um furo. Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando sãos e salvos. Então, examinei o barco e constatei que você o havia consertado!Percebe, agora, o que fez? Salvou a vida de meus filhos! Não tenho dinheiro suficiente para pagar-lhe pela sua "pequena" boa ação...


*Não importa para quem, quando, de que maneira. Sempre que for possível, sempre que depender de você, e principalmente, dentro de suas possibilidades, vá além ...de mãos dadas com Jesus, este poderá ser o seu diferencial !!
Leia Também: Você pode mudar a vida de uma pessoa
                      Sempre diga às pessoas o quanto você as ama- O laço azul

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O que é mais importante para você?




Estou cansada de trabalhar e ver todos os dias as mesmas pessoas no caminho; passar horas trabalhando. Chego em casa e meu marido sempre do mesmo jeito, com a mesma disposição, a mesma comida para o jantar. Entro no banho e logo ele começa a reclamar.

Quero descansar e assistir minha novela, mas meus filhos não me deixam, porque querem brincar comigo e conversar. Não entendem que estou cansada. Meus pais também me irritam algumas vezes e entre trabalho, marido, filhos, pais e cuidar da casa, eles me deixam louca. “Quero Paz”.


A única coisa boa é dormir. Ao fechar os olhos sinto um grande alívio, me esqueço de tudo e de todos.


Ao dormir...


- “Olá, vim te ajudar”.


- Quem é você? Como entrou?


- “Sou um servo de Deus. Ele disse que ouviu suas queixas e que você tem razão”.


- Isso não é possível, para isso eu teria que estar...


- “Isso, você está. Não se preocupará mais em ver sempre as mesmas pessoas, nem por aguentar o seu marido com suas reclamações e sua disposição, nem seus filhos que te irritam, nem terá que escutar os conselhos de seus pais e não terá mais qualquer casa para cuidar.”

Mas... Que acontecerá com todos? Com meu trabalho? Minha casa?

- “Não se preocupe. No seu trabalho já contrataram outra pessoa para o seu lugar e ela certamente está muito feliz porque estava sem trabalho”.


- E meu marido, meus filhos?


-- “Ao seu marido foi dado uma boa mulher que o quer bem, o respeita e o admira por suas qualidades, aceita seus gostos e defeitos e todas as suas reclamações. Além disso, ela se preocupa com seus filhos como se fossem filhos dela. De certo, tem uma emoção muito grande já que é estéril. Por mais cansada que chegue do trabalho, dedica tempo a brincar com eles e para agradar seu marido. Todos estão muito felizes”.


- -Mas não quero isso!


- -“Sinto muito, a decisão foi tomada”.


- Mas isso significa que jamais voltarei a beijar o rostinho dos meus filhos, nem dizer “eu te amo” ao meu marido e mostrar a eles o quanto são importantes na minha vida, nem dar um abraço nos meus pais.


Não, não quero morrer, quero viver, envelhecer junto ao meu marido, fazer a viagem que há muito planejamos, colocar aquela roupa que comprei há mais de 1 ano, levar meus filhos ao passeio que sempre prometi. Não quero morrer ainda...


- ”Mas era o que você queria... Descansar. Agora já tens seu descanso eterno, durma para sempre”.


- Não, não quero, por favor, Deus!


... “Que aconteceu amor? Teve um pesadelo?” Disse meu marido me acordando com paciência e carinhosamente.


- Sim, um pesadelo horrí... Parei a frase ao meio, olhei em seu rosto, seu semblante preocupado comigo, ali do meu lado, e então, sorrindo falei:


- Não meu amor... Não tive pesadelo nenhum, tive um encontro com Deus, que nos adora, e que acaba de me dar uma nova oportunidade.


Amar e ser amado por alguém... É o que nos aproxima do Criador.


AUTOR DESCONHECIDO  


Leia Também: Dê amor e não presentes - O nó do afeto

                                  Deus em primeiro lugar - A vida

domingo, 9 de setembro de 2012

Um gesto de amor




Um garoto pobre, com cerca de doze anos de idade, vestido e calçado de forma humilde,
entra na loja, escolhe um sabonete comum e pede ao proprietário que embrulhe para presente. É para minha mãe, diz com orgulho. O dono da loja ficou comovido diante da singeleza daquele presente. Olhou com piedade para o seu freguês e sentindo uma grande compaixão, teve vontade de ajudá-lo.

Pensou que poderia embrulhar, junto com o sabonete comum, algum artigo mais significativo. Entretanto, ficou indeciso: ora olhava para o garoto, ora para os artigos que tinha em sua loja. Devia ou não fazer? O coração dizia sim, a mente dizia não.
O garoto, notando a indecisão do homem, pensou que ele estivesse duvidando de sua capacidade de pagar. Colocou a mão no bolso, retirou as moedinhas que dispunha e as colocou sobre o balcão. O homem ficou ainda mais comovido quando viu as moedas, de valor tão insignificante. Continuava seu conflito mental.

Em sua intimidade concluíra que, se o garoto pudesse, ele compraria algo bem melhor para sua mãe. Lembrou de sua própria mãe. Fora pobre e muitas vezes, em sua infância e adolescência, também desejara presentear sua mãe. Quando conseguiu emprego, ela já havia partido para o mundo espiritual. O garoto, com aquele gesto, estava mexendo nas profundezas dos seus sentimentos. Do outro lado do balcão, o menino começou a ficar ansioso. Alguma coisa parecia estar errada. Por que o homem não embrulhava logo o sabonete? Ele já escolhera, pedira para embrulhar e até tinha mostrado as moedas para o pagamento. Por que a demora? Qual o problema?

No campo da emoção, dois sentimentos se entreolhavam: a compaixão do lado do homem, a desconfiança por parte do garoto. Impaciente, ele perguntou: Moço está faltando alguma coisa?
Não, respondeu o proprietário da loja. É que de repente me lembrei de minha mãe.
Ela morreu quando eu ainda era muito jovem. Sempre quis dar um presente para ela, mas desempregado, nunca consegui comprar nada.
Na espontaneidade de seus doze anos, perguntou o menino: nem um sabonete?
O homem se calou. Refletiu um pouco e desistiu da idéia de melhorar o presente do garoto. Embrulhou o sabonete com o melhor papel que tinha na loja, colocou uma fita e despachou o freguês sem responder mais nada.

A sós, pôs-se a pensar. Como é que nunca pensara em dar algo pequeno e simples para sua mãe? Sempre entendera que presente tinha que ser alguma coisa significativa, tanto assim que, minutos antes, sentira piedade da singela compra e pensara em melhorar o presente adquirido. Comovido, entendeu que naquele dia tinha recebido uma grande lição. Junto com o sabonete do menino, seguia algo muito mais importante e grandioso, o melhor de todos os presentes: O gesto de amor!

A macieira encantada - a importância dos obstáculos



Era uma vez um reino antigo e pobre, situado perto de uma grande montanha.

Havia uma lenda de que, no alto dessa montanha havia uma Macieira mágica, que produzia maçãs de ouro. Para colher as maçãs era preciso chegar até lá, enfrentando todas as situações que aparecessem no caminho. Nunca ninguém havia conseguido essa façanha, conforme dizia a lenda.

O Rei do lugar resolveu oferecer um grande prêmio àquele que se dispusesse a fazer essa viagem e que conseguisse trazer as maçãs, pois assim o reino estaria a salvo da pobreza e das dificuldades que o povo enfrentava. O prêmio seria da escolha do vencedor e incluía a mão da princesa em casamento.

Apareceram três valorosos e corajosos cavaleiros dispostos a essa aventura tão difícil.
Eles deveriam seguir separados e, por coincidência, havia três caminhos:
1º - rápido e fácil, onde não havia nenhum obstáculo e nenhuma dificuldade;
2º - rápido e não tão fácil quanto o primeiro, pois havia algumas situações a serem enfrentadas;
3º - longo e difícil, cheio de situações trabalhosas.

Foi efetuado um sorteio para ver quem escolheria em primeiro lugar um desses caminhos. O primeiro sorteado escolheu, naturalmente, o Primeiro caminho. O segundo sorteado escolheu o Segundo caminho. O terceiro sorteado, sem nenhuma outra opção, aceitou o Terceiro caminho.

Eles partiram juntos, no mesmo horário, levando consigo apenas uma mochila contendo alimentos, agasalhos e algumas ferramentas.
O Primeiro, com muita facilidade chegou rapidamente até a montanha, subiu, feliz por acreditar que seria o vencedor e quando se deparou com a Macieira Encantada sorriu de felicidade. O que ele não esperava, porém, é que ela fosse tão inatingível. Como chegar até as maçãs? Elas estavam em galhos muito altos. Não havia como subir. O tronco era muito alto também. Ele não possuía nenhum meio de chegar até lá em cima. Ficou esperando o Segundo chegar para resolverem juntos a questão.

O Segundo enfrentou galhardamente a primeira situação com a qual se deparou, porém logo em seguida apareceu outra, e logo depois mais uma e mais outra, sendo algumas delas um tanto difíceis de superar. Ele acabou ficando cansado, esgotado até ficar doente, e cair prostrado. Quando se deu conta de seu péssimo estado físico, foi obrigado a retroceder e voltou para a aldeia, onde foi internado para cuidados médicos.

O Terceiro teve seu primeiro teste quando acabou sua água e ele chegou a um poço. Quando puxou o balde, arrebentou a corda e ele então, rapidamente, com suas ferramentas e alguns galhos, improvisou uma escada para descer até o poço e retirar a água para saciar sua sede. Resolveu levar a escada consigo e também a corda remendada. Percebeu que estava começando a gostar muito dessa aventura.

Depois de descansar, seguiu viagem e precisou atravessar um rio com uma correnteza fortíssima. Construiu, então, uma pequena jangada e com uma vara de bambu como apoio, conseguiu chegar do outro lado do rio, protegendo assim sua mochila, seus agasalhos e todo o material que levava consigo para o momento que precisasse deles, incluindo a jangada.

Em um outro ponto do caminho ele teve de cortar o mato denso e passar por cima de grossos troncos. Com esses troncos ele fez rodas para facilitar o transporte do seu material, usando também a corda para puxar.

E assim, sucessivamente, a cada nova situação que surgia, como ele não tinha pressa, calmamente, fazendo uso de tudo o que estava aprendendo nessa viagem e do material que, prudentemente guardara, resolvia facilmente a questão.
A viagem foi longa, cheia de situações diferentes, de detalhes, e logo chegou o momento esperado, quando ele se defrontou com a Macieira Encantada. O Primeiro havia se cansado de esperar e também retornara ao povoado.

O encanto da Macieira tomou conta do Terceiro. Ela era tão linda, grande, alta, brilhante. Os raios do sol incidindo nos frutos dourados irradiavam uma luz imensa que o deixou extasiado. Quanto mais olhava para a luz dourada, mais ele se sentia invadir por ela, e percebeu que todo o seu corpo parecia estar também dourado. Nesse momento ele sentiu como se uma onda de sabedoria tomasse conta de seu ser. Com essa sensação maravilhosa ele se deixou ficar, inebriado, durante longo tempo. Depois do impacto ele se pôs a trabalhar e preparou cuidadosamente, seu material, fazendo uso de todos os seus recursos.

Transformou a jangada numa grande cesta, para guardar as maçãs dentro, subiu na árvore, pela escada, usou o bambu para empurrar as maçãs mais altas e mais distantes. Tudo isso e mais algumas providências que sua criatividade lhe sugeriu para facilitar seu trabalho, que havia se transformado em prazer.

Depois de encher a cesta com as maçãs, e com a certeza de que poderia voltar ali quando quisesse, por ser a Macieira pródiga, ele agradeceu a Deus por ter chegado, por ter conseguido concluir seu objetivo. Agradeceu principalmente a si mesmo pela coragem e persistência na utilização de todos os seus recursos, como inteligência e criatividade.

Voltou pelo caminho mais fácil, levando consigo os frutos de seu trabalho e de seus esforços, frutos esses colhidos com muita competência e merecimento. Descobriu, entre outras coisas que:
Tudo que apareceu em seu caminho foi útil e importante para sua vitória;
Cada uma das situações que ele resolveu, foi de grande aprendizado, não só para aquele momento, mas também para vários outros na sua vida futura;
Quando você faz do seu trabalho um prazer, suas chances de sucesso são muito maiores;
Quando seu objetivo vale a pena, não há nada que o faça desistir no meio do caminho;
A sua vitória poderia beneficiar a vida de muita gente e também servir de exemplo a outras pessoas, a quem ele poderia ensinar tudo o que aprendeu nessa trajetória.

O resto da história vocês podem imaginar. E como toda história que se preze, viveram felizes para sempre...

AUTOR DESCONHECIDO

Leia também:


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...