O gavião




Estava eu na minha sala em mais um dia de trabalho. A posição do meu posto de trabalho dava uma visão muito bonita do cenário lá fora, pois atrás da minha mesa havia uma janela muito grande, com um vidro enorme, onde eu podia contemplar a natureza do lado de fora como se fosse um quadro vivo, com os movimentos dos carros que passavam na rodovia e alguns pássaros que voavam embelezando a extensa área verde que havia do outro lado da rodovia.

Nesse dia, enquanto estava envolvido com meu trabalho, num relance eu percebi algo se mexendo na janela. Eu aproximei e vi um pássaro enorme na soleira, do lado de fora da janela. Era um gavião que pousara ali para ter um momento de descanso. O interessante era que o vidro era espelhado, ou seja, durante o dia quem estava lá fora não podia visualizar o lado interior da empresa. Com isso eu pude chegar bem pertinho daquela ave que era muito bonita. Eu senti vontade de ajudá-la de alguma forma; eu queria ser seu amigo, poder tocá-la, servi-la de água e comida, conseguir-lhe um lugar de abrigo. Mas aquela ave, ou, aquele gavião ficava ali indiferente, apenas contemplando a sua própria imagem no espelho e sem perceber a minha presença a quase um palmo de distância. Estava eu ainda admirando quando ele resolveu partir. Confesso que fiquei triste com a sua partida.

Num outro dia ele voltou, mas desta vez o céu estava encoberto de negras nuvens e um temporal não demorou a chegar e aquela ave estava ali do lado de fora, com frio, sem abrigo e eu querendo ajudá-la, mas ela novamente sem perceber minha presença nem minhas boas intenções, alçou vôo em meio ao temporal e saiu sem destino à procura de abrigo. Depois desse dia eu não mais vi aquela bela ave.

Num domingo à noite, num culto na igreja o pastor começou a falar da necessidade de sentir a presença de Deus na nossa vida e eu comecei a me lembrar daquele gavião e pude entender que a nossa relação para com Deus é muito semelhante. O nosso Deus está bem pertinho de nós, contemplando o nosso ser que ele tanto ama e quer muito nos ajudar. Ele quer nos guiar, proteger, dar alimento e acima de tudo, dar uma vida de paz. O desejo de Deus é que nós estejamos morando com ele, que vivamos com Ele para sempre. Mas existe esta barreira que é o vidro, que serve de espelho, onde nós contemplamos somente a nós mesmos e achamos que somos capazes e que pelos nossos próprios esforços podemos alcançar a tão desejada "felicidade". A verdade é que por nosso esforço próprio até conseguimos ter alguns momentos raros de felicidade, mas sempre nos deparamos com a angústia, com o perigo, com o vazio, com a solidão, com a dor e novamente a incerteza nos envolve e nos sentimos fragilizados, impotentes diante dos temporais.

Não espere mais e busque a Deus, pois Ele está mais próximo que você pode imaginar. Através de Jesus, este vidro espelhado não faz mais separação entre nós e Deus. Agora você pode contemplá-lo e com isso, viver não mais para si e sim para Ele. Somente através de Jesus Cristo você pode viver com Deus, pois, através do Espírito Santo, Deus habita dentro de você, em seu coração.

Pense bem na ilustração do gavião e faça uma comparação com a sua vida. Deixe Deus te ajudar, é só aceitar o presente que Ele deu pra mim e prá você também; O seu Filho Jesus Cristo, vitorioso, que venceu a morte e não mais está cravado numa cruz. Ele vive eternamente e está disposto a estar ao seu lado todos os dias da sua vida:

Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos (Mt 28:20).

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (II Cor. 5:17).

Que o nosso Deus que tudo vê (Hb 4:13) te abençoe poderosamente.

AUTOR: Paulo Reis

Comentários