Assuma mais riscos




Você deve cultivar a mentalidade de uma pessoa para quem assumir riscos é natural e que vai continuar tentando alcançar o que quer, aquilo que sonha, até conseguir.

Você deve ser alguém que não vai se conformar em ter um pássaro na mão, se esse não for o pássaro certo. Deixe que os outros aceitem o que não querem por achar cômodo, porque não têm coragem e desistem diante da primeira dificuldade.

As pessoas, na sua maioria, preferem permanecer em sua zona de conforto, onde acham que estão em segurança, mesmo que isso signifique nunca realizar seus sonhos.

Zona de conforto é aquela que as pessoas conhecem bem e na qual se sentem perfeitamente à vontade.

É um lugar seguro, previsível e facilmente administrado. E são muitos os que voltam a refugiar-se nela assim que põem o pé para fora, porque não suportam o desconforto. Assim, desistem de ir atrás das possibilidades e de aproveitar as oportunidades que o lado de fora oferece.

Querer sentir-se confortável, numa área perfeitamente conhecida, é o grande inimigo do ímpeto, algo que seduz a pessoa com uma falsa sensação de bem-estar, mas que a mantém abrigada do estresse, da pressão, do medo de tentar e falhar. Mas, para os que tomam coragem para sair de sua zona de conforto, as recompensas são enormes.

Um bom exemplo é o ator Brian Blessed que, em 1990, aos 58 anos, escalou o Everest sozinho e tornou-se o homem mais velho a alcançar a altura de 8 mil e 400 metros. Realizou um sonho que tinha desde os 14 anos e não parou mais.

Depois disso, chegou ao topo do Everest por outras duas vezes, escalou o Kilimanjaro, o Aconcágua, no Chile, e o Roraima, na Venezuela. O que ele costuma dizer quando alguém o taxa de louco: “Todos nós temos nosso Everest para escalar.

Só é preciso tentar. Se eu não tivesse pelo menos tentado, nunca conseguiria. Penso que o maior perigo na vida é não arriscar”.

Comentários

Lucinalva disse…
Olá Alice
Linda reflexão. É importante tentar e nunca desanimar. Bjs querida.